terça-feira, 12 de maio de 2009

(Divagação II) - Questões espirituais

(Texto de Outubro de 2007)

     Por que eu sinto meu ser e minha luz com tanta profundidade? Eu sinto que meu plano existencial é muito maior do que conheço e o que eu conheço é pouco demais para me conformar. Eu sinto que não sou um ser espiritualmente comum. Eu sinto que sou maior aqui dentro, maior, mais leve e mais limpo do que meu exterior consegue mostrar. Por que por diversas vezes me imagino em um lugar com potencialidade espiritual maior? Eu sei que sou um ser profundo, eu entendo isso pela forma como vivo, eu vivo muito intensamente inclusive minhas dúvidas. E minhas dúvidas por mais ambivalente que isso pareça, são o que me dão certeza de minha intensidade já que minhas dúvidas estão relacionadas a fatores existenciais. Eu sinto além disso, ter muita responsabilidade em algumas vidas próximas a mim, como se algumas pessoas precisassem que eu estivesse de alguma forma por perto. Como se hora dessas, eu viesse “a desistir”, eu estivesse estragando um ciclo muito grande, um ciclo que eu mesmo escolhi em partes, antes de parar aqui. O ciclo do “por que eu estou aqui”. Vez por outra tenho esses vislumbres, vez por sempre estou conectado a uma força muito maior. Por outras vezes, me enfraqueço ao me desviar de meus propósitos. Mas aliás, qual é meu maior propósito? 

      Sinto ser um espírito livre. Não gosto de nada que me prenda, não gosto de avaliações, não gosto de condições, não consigo me ver em uma mesma situação por muito tempo. Preciso de espaço, de abertura para seguir em frente. Talvez por viver muito intensamente as coisas, costumo enjoar delas muito fácil. E costumo errar muito e me penitenciar depois (e isso me toma muita energia). Porque muitas vezes me imagino em lugares longe das pessoas? Por que me imagino apenas lá sentado contemplando o horizonte de minhas lembranças? Vendo a vida que levei com pessoas tão importantes? E por que penso isso quando um de meus propósitos é estar com estas pessoas? Eu sinto meus amparadores perto de mim, eu sei que eles sabem quando estou enfrentando meus combates, quando estou desistindo, quando estou me desviando do assunto principal, e quando choro internamente enquanto consigo inventar uma meia risada na boca. Por que estão fazendo isso comigo? O que estão querendo me dizer? O que querem que eu perceba? O que querem que eu compreenda? Por que quando algo costuma dar errado, assumo aquilo como culpa minha, assumo aquilo como algo que estou destinado a passar por conseqüência de algo que fiz? Por que fico arrastando penitências por meses, quando também sei que mereço estar passando por coisas melhores? Por que minha insistência de permanecer em um lugar que está destroçando minha energia por medo do abandono? Por que envolvi outra vida em meu projeto existencial? Por que o amor das pessoas ao redor não me deixa ir? 

     Eu sinto estar carregando às vezes mais do que minhas costas suportam... Mas sobre tudo, eu sinto estar carregando algo muito iluminado dentro de mim: minha alma. Eu sei que sou um ser de luz! Eu sinto ser um ser de luz. E eu sei que posso doar minha luz e que eu não devo bloqueá-la. E nesse momento sinto também ser meu silêncio. Eu preciso calar minha voz e apenas ouvir meu silêncio. Eu sinto que já falei e mostrei muito de mim às pessoas ao meu redor. E sinto que agora é hora de observar o resultado. Eu sei que nem tudo está perdido...

************************************************************************************
Reeditado em 21/05/2015

Nenhum comentário: