domingo, 25 de outubro de 2009

Efeito Placebo: Felicidade!

     Diz-se (em resumo) do "Placebo": é uma substância inerte, sem propriedades farmacológicas, administrado a uma pessoa ou grupo de pessoas, como se tivesse propriedades terapêuticas. Na medicina os objetivos do placebo são, principalmente, para trabalhos científicos onde se quer testar a eficácia de medicamentos através de comparações. Ou seja é uma substância inerte, ou cirurgia ou terapia "de mentira", usada como controle em uma experiência ou dada a um paciente pelo seu possível ou provável efeito benéfico. Em outras palavras, numa linguagem ainda mais simples é como você estar com uma grande dor de cabeça e alguém lhe oferecer um medicamento que na verdade não possui nenhuma substância que realmente fará com que essa dor pare. Porém, ao ingerir, seu próprio pensamento induz essa melhora, o que significa que a dor será curada apenas com o efeito psicológico, o "Efeito Placebo". Que é um efeito real criado pela própria crença ou por uma ilusão subjetiva. Com relação a isso, tenho tomado várias "pílulas para a felicidade". Pílulas inesistentes preenchidas de placebo. Nunca na minha vida busquei tanto ser feliz. Nunca quis tanto me concentrar em coisas positivas. Em rir de verdade, sem exageros. Estou tentando ver o mundo, as coisas, as pessoas de uma outra maneira. Não sem antes expelir o lado contrário de dentro de mim. É necessária essa catarse para a expulsão do que é negativo. Entender o lado bom da dor, o lado bom do sofrimento, o lado bom do descontrole. Para assim aproveitar os tempos de cura, de paz, de equilíbrio. 

     Estou tentando adestrar meu sistema nervoso. Treiná-lo. Já não perco mais peso com minhas preocupções por exemplo, coisa antes, natural. Endorfina? Quantas doses posso obter por dia? Aquela sensação boa após uma caminhada, aquele relaxamento após um orgasmo frenético, aquele bem estar auto-produzido que faz tão bem. Eu quero mais disso. Quanto mais posso produzir? Eu quero ir além. Eu fecho os olhos e me sinto dentro de um som, um som carregado de placebo, onde ele vai cruzando cada vaso sanguíneo. Eu o vejo dentro de meu próprio cérebro, limpando, energizando, transformando o amargo das células, no lado doce das coisas. É como um transe terapêutico.Um efeito induzido em busca de me sentir melhor. Feliz! Tenho usado esse Efeito Placebo constantemente, até que essa experiência encontre os resultados. Em minha prateleira imaginável, há um estoque inteiro das "pílulas da felicidade", guardadas em lugar fresco e arejado, mantidas por minha ilusão, reais em minhas emoções. Não são pílulas da felicidade plena, inalcançável, mas da instantânea, só que prolongável. Eu quero prolongar tudo o que me deixar leve e entender que algumas perdas são necessárias e que os ganhos chegam ao seu tempo.

*************************************************************************************
Reeditado em 22/04/2015

Nenhum comentário: