quinta-feira, 1 de julho de 2010

Eu não pertenço a este lugar...

     Quando subi naquele ônibus para ir embora de uma cidade para outra, fixei algumas coisas em pensamento como: "Estou indo para uma nova jornada, vida nova. Dos erros que fiz aqui, lá não cometerei mais. Trabalhos pelos quais já passei, pagamentos que já tive não se repetirão. Será uma nova fase, serão novas visões. Novas buscas, nova postura, novas pessoas....Enfim.." Trabalho! Motivo maior de minha mudança pessoal. Já estava cansado, cansado do mesmo. Do "galho em galho" sem muitas diferenças, sabendo do meu potencial e vontade interior. Minha energia estava sendo gasta em coisas nulas. Sabe aquela canseira de não poder ultrapassar? Não poder ir além? A "grana contada" para o necessário? Acabei mudando por conta disso. Havia em meu tempo na outra cidade trabalhado muito e "ganhado" pouco. Havia tido oportunidades similares. embora também tivesse ganhos maiores, sem comparações de valores! Não sou nada materialista. Às vezes, acho até que "materialista de menos", demais! E então depois de uma semana exaustiva de trabalho como esta última que tive, já na nova cidade, já com outra oportunidade que estava entre minhas buscas, fui analisando o que se ganha e o que se perde com tudo isso! Nunca fui nem quero ser "meio termo". Mas nesse sentido, estar no meio termo pode ser bem mais gratificante. Se "ganhando menos" se pode ter menos, e "ganhando mais se pode ter mais" mas viver menos, já não sei dizer o que seria mais interessante e saudável. Mas sei dizer que ser escravo do próprio trabalho de longe não é a melhor opção. Chegar cedo, sair tarde, sair tarde, chegar cedo. "O momento em que eu deixar, será o momento em que eu peguei mais do que podia segurar. E o momento em que pularei fora será o momento em que tocarei o chão!", já ouvi em alguma canção. Não caio na ilusão do capitalismo. Da sociedade que corre atrás de metas, que no fundo serve para quê mesmo? Estar no topo às vezes alça apenas um tombo maior! Há que se ter prudência. Ser realista! Não há necessidade de se manter no posto, alcançar o primeiro lugar! Esse padrão ditador da sociedade é o que ainda me enoja. Só sei que não sou daqui. Desse mundo deslumbrado, desse muro de ganância. "Quando você acha que tem de ter mais do que precisa ter, seus pensamentos começam a sangrar..." Chega! Eu serei o que eu poderei ser e seguirei meu caminho com olhos abertos, ouvidos atentos, falas tratadas. Eu sou bem maior do que a sociedade espera que eu seja. E dessa vez não estou cansado, eu só tenho a absoluta certeza de que eu não pertenço a este tipo de lugar...

video
Eddie Vedder_Society

********************************************************************************
Reeditado em 22/04/2015

Nenhum comentário: