sexta-feira, 1 de abril de 2011

Mea maxima culpa

     Objetivo presente: ouvir mais, falar menos! Como se fosse um mantra, ficarei repetindo isso diariamente em minha cabeça. Tenho falado demais e pior do que isso, dito o que eu não devo e inclusive não me diz respeito. Me tornei uma pessoa franca aos extremos, de tempos pra cá. Sempre me considerei uma pessoa muito além de sincera, mas sempre guardei frases que também pensava que não eram necessárias serem ditas. No hoje, minhas frases saem todas nuas! Sem pudor algum e sem medidas. Sejam frases escritas ou faladas. Me tornei uma pessoa tão direta que estou quase a me tornar uma pessoa prepotente - qualidade ou defeito que sempre ignorei em outras pessoas. Franqueza não pode ser confundida com arrogância. Mas arrogante, logo eu? Falar a verdade, ser claro e objetivo, sempre foi para mim, prioridades da fala. Porém, descobri que há coisas que devo guardar ainda que perguntado. Como é estranho se perder no caminho que se jurava ser "encontro". Era caminho, não fuga, era direção. E como então redirecionar minhas palavras? Como parar com aquilo que já se está acostumado? Como dizer menos? Como vestir as frases antes de despejá-las? Segurar a saliva na boca? Estou resguardado neste tempo presente. Me perdoem todos, eu nunca pretendi ter qualquer razão! Adentrando em mais um de meus "períodos de isolamento interno". E que dessa vez, nem escrito seja!