domingo, 14 de agosto de 2011

Quantas vidas tem meu pai?

     Esta semana eu soube que meu pai havia ido até "a gruta" sozinho. Primeiro, meu pai que passou por um tratamento contra um câncer,  simplesmente não pode caminhar sozinho, todos se preocupam em saber se ele estará bem. Segundo, "a gruta" é lá morro acima! Poderia resvalar, cair, machucar-se. Nada disso aconteceu. Subiu, desceu e chegou em casa são e salvo. Meu pai: tantas altos e baixos! Sua saúde se tornou instável nos últimos anos e ainda assim agora teve forças para subir sozinho "em meio aquele mato". Hoje, Dia dos Pais, liguei para conversar com ele e obviamente toquei no assunto. Calmamente com sua voz mais tímida e fraca, ele contou que subiu até lá para rezar (há uma imagem da Nossa Senhora de Lourdes que permanece nesta gruta e dá nome ao Bairro onde nasci). Ele subiu para rezar e agradecer por ainda estar com nós, porque sente que foi o amor dos filhos e de minha mãe que o ajudou a ainda estar aqui neste plano. Após rezar, plantou mais algumas "mudas" de árvores pelo caminho. Meu pai com a sua doença, com seus setenta e um anos, com a sua sabedoria adquirida. 

      O texto de hoje não é nada triste, ao contrário. Fiquei tão feliz ao saber que meu pai, um tanto cético, compreendeu seu caminho por essa existência. Procurou sua fé, pediu compaixão e agradeceu. Num outro encontro que tivemos, em uma longa conversa de semi-despedida que ele quis ter comigo tempo atrás, dizia ele que nesta vida já havia sofrido tudo o que era preciso! Penso eu, que ele estava tentando entender sua evolução, sua jornada. E posso dizer que ele aguentou firme e com força. Mesmo com seu corpo físico mostrando o contrário por diversas vezes: ele jamis desistiu da vida! Qual é afinal o seu planejamento? A qual camada espiritual pertence? Sei que isso está longe de minha compreensão. Por hoje, agradeço ao seu espírito por ter me colocado em seu plano existencial. Estou profundamente interessado em entender/descobrir qual é o meu próprio plano nessa jornada. Ele veio antes para ser meu pai e junto com minha mãe deu à mim mais uma oportunidade a qual eu não posso desperdiçar! Toda essa vivência faz parte de nossa aprendizagem. Nosso amor será sempre transcendental. Nosso amor é o que sempre fará com que nos reencontramos! E que nossos reencontros nos tragam sempre a evolução a qual buscamos! Mas hoje tudo o que eu quero desejar é energia pura em forma de luz e agradecer em forma de felicidade a nossa vida juntos. 

************************************************************************************
Reeditado em 22/04/2015 (Data em que completaria 75 anos - meu pai faleceu em outubro de 2011)