segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Um passo atrás

       O sentimento agora é de (auto)comiseração. Não há outro. Não há nem espaço para outro. As imagens são todas de descidas. Os pousos são violentos. Cuspido em um terreno que eu desconhecia, me senti sem planos. Dúvidas e decisões. Neste dia em que o orgulho foi engolido, nesta ação retrógrada, nesta confusão de sentidos, nestes devaneios sentidos como intuições, nestes tons de cinza: tantas partes escondidas. Eu sou inferior. Eu voltei atrás por medo, eu senti o fracasso e senti dores. Olhei pra cima em busca de luz, senti a luz ao meu lado, me senti bloqueado. Olhei pra dentro, vi a profundeza de meu ser. Arranquei minha voz, há um sorriso postiço no rosto. Há outra escolha incerta, há uma urgência imediata. Eu carrego toda a resposabilidade. Me desconectei para me sentir novamente em conexão. Justo quando eu pensei que os rumos já haviam tomado os seus devidos lugares. Justo quando eu achei que a vida estava bem, eu modifiquei. Estou me redimindo, eu não sou digno. Escorreguei novamente, estou sem defesa, estou causando estragos. Tentando me perdoar pela milionésima vez, causando estragos e consequências.

Nenhum comentário: