terça-feira, 15 de outubro de 2013

Nossas habilidades

     De um tempo pra cá, as minhas habilidades e as minhas "não habilidades" estão bem claras. Falo isso de maneira geral, tanto em casa quanto no trabalho ou na faculdade. Tenho a consciência de tudo o que sou capaz e reconheço tudo o que me falta.  Durante todos estes anos tenho me estudado muito. Não de forma a exaltar o meu ego mas de me perceber, de me compreender e me conhecer cada vez mais. Sou metade, não sou completo. Me assumo assim, prefiro.

     No entanto, a minha maior falta de habilidade está em lidar com pessoas. Talvez por isso os meus filmes e livros favoritos sejam  sobre a história de alguém que preferiu seguir uma vida solitária. Nosso cotidiano e rotina perfuram as relações (todas): pequenos detalhes, uma expressão, uma atitude mudam nossa percepção das coisas. Estou começando a acreditar que onde houver um ser humano convivendo com o outro sempre haverá sofrimento. E se o sofrimento é inevitável nessas relações, estou novamente me preferindo distante.

     Da minha maior habilidade, ainda não sei. Talvez eu tenha que prestar mais atenção naquilo que há de melhor em mim já que me acostumei a falar mais sobre as minhas falhas. Ou talvez faça isso apenas por proteção.

     Por hoje, estes parágrafos rasgados. Espécie de rascunho ainda à ser passado a limpo. Esperando que amanhã seja um dia melhor.