sábado, 8 de março de 2014

Gastrite

Tua gastrite vem da bactéria invisível que habita a tua incapacidade
de deixar para trás partes da tua vida que já não fazem sentido.

Tal bactéria paira na inércia da tua falta de coragem.

O que queima em teu estômago são fagulhas de inquietações.
O que queima em teu estômago são desejos presos.
O que queima em teu estômago é um calo criado por tua mania de continuar a fazer
coisas das quais sente náuseas.

Tua gastrite vem de um fungo invisível que habita a tua ausência
em estar em partes da vida que deseja.

Tal fungo se alimenta de tristeza.
[abismo]

O que queima em teu estômago é o remédio que usa para poder ter sono.
O que queima em teu estômago é a sobrecarga em teu trabalho [quanto tempo mais?].
O que queima em teu estômago é o fogo daquilo que não disse.

Tua gastrite se alojou no cérebro.
[sem voz]

O que queima em teu estômago são imagens não vividas.
O que queima em teu estômago é o rumo que o consumo da vida tomou.
O que queima em teu estômago é a semente que nasce daquilo que
deixa de fazer [por pensar nos outros].

O que queima em teu estômago é aquilo que está sentindo falta.

Teus pensamentos te perfuram.
Tua gastrite inexiste.

Nenhum comentário: