sábado, 19 de setembro de 2015

Sobre sentir-se do lado de fora, não enfeitar sentimentos e não criar expectativas

       Entender a minha inferioridade me ajuda a cuspir o meu ego: não sou bom para tudo em minhas relações de amizade. Preciso aceitar este fato antes de sentir qualquer mágoa. Mas o que fazer quando nos sentimos deixados do lado de fora em certas situações além de tentar entender para quais momentos servimos e em qual momento nossa companhia pode ser descartada? O sentimento de exclusão/negação acaba por perfurar a minha energia e destrói com a minha auto estima, faz com que eu me sinta tão para baixo que levo dias a retornar à escalada. Então releio as palavras que recebi para tentar compreender mas continuo sentindo que não as merecia (palavras que brotaram muito além do assunto), ouço argumentos que não me convencem e lembro que eu estou ali, sempre pronto para qualquer situação, todas as situações, sempre reservando o primeiro lugar e fico perdidamente pensativo e longe. Sem drama, sem mais enfeitar sentimentos... Eu tento, mas não considero justo.

       A necessidade deste momento é refletir sobre "expectativas": parar de esperar do outro aquilo que desejo que aconteça e saber esperar do outro aquilo que jamais pensaria que pudesse esperar. Por vezes, acabo me fechando numa espécie de proteção por medo de ser machucado, eu infelizmente, mesmo nesta altura da vida, ainda não sei lidar com as mágoas, elas demoram a deixar a minha mente, o meu corpo e meu espirito e acabam por anular as minhas melhores partes.

      Se a minha maior busca é pelo equilíbrio espiritual, energético, emocional e psicológico eu preciso vasculhar dentro de mim tudo o que me ajuda e tudo o que me magoa e colocar cada sentimento que eu encontre em seu devido lugar. Eu sei que logo, tudo passa, inclusive a vida passa. Falar abertamente sobre este assunto, mostrando onde se encontram as minhas fraquezas é uma forma de encontrar um caminho que me leve até a cura. Escrever sobre isso é apenas uma forma de me libertar.