domingo, 4 de junho de 2017

Natureza Interior correnteza abaixo

Nas últimas noites tenho feito uma mentalização ao deitar para dormir, quase que um "transporte físico imaginário": tenho visitado diferentes lugares, sempre altos, onde eu possa sentar, sentir o vento e olhar para a imensidão ao redor em "solitude"- uma espécie de respiração profunda que cura. Esta é a única maneira que tenho encontrado para ficar sozinho, não há outro jeito para que eu possa aproveitar meu tempo só, o que me faz tamanha e saudável falta. Em solitude, questiono todo o meu atual momento. 

A cada vez que tento nadar contra a minha Natureza Interior sinto que o Universo me retribui com uma nuvem de insatisfações que paira sobre o meu Ser por semanas: tudo desalinha, tudo fica sem sentido e meu estado emocional se altera me deixando com um profundo desgaste mental. Já passou da hora de eu pegar meu equipamento de mergulho e descer até o fundo do mar e ao emergir, trazer a tona o que realmente habita dentro de mim, refazendo o meu caminho e seguindo a estrada que leva até a verdade de minha jornada. Eu não quero mais utilizar a máscara de ar: eu quero respirar livre!

Minha rota precisa ser guiada pela coragem interior e é ela que tem me faltado. Eu quero desabitar terrenos que já não me deixam confortáveis, eu tenho que mudar "aquela direção da placa" antes que eu não consiga mais deixar este lugar. Ouço gritos da vida ao tapar meus ouvidos quando permaneço onde estou, lugares estes os quais já não faço mais parte. Um onda gigante de mudança está por vir, assim se iniciará a minha real missão. Oxigênio...